Pré-aviso de caos – Opinião de João Bruto da Costa
Publicado em 09 de Abril, 2018

Aproxima-se a época alta de turismo nas ilhas e é mais que certo que teremos um grande número de pessoas a rumar aos Açores.

A questão que ainda não tem resposta — e quepreventivamente se deve fazer — é se a SATA Air Açores será capaz de corresponder nas suas rotas interilhas com suficientes lugares para acomodar os açorianos que necessitam de se deslocar, os que regressam para umavisita de saudade e os inúmeros turistas que queremos a visitar uma ilha após outra.

O exemplo do passado recente não tem sido nada tranquilizador para quem vive em ilhas mais periféricas dentro dos Açores, com voos sem lugares ou sem reservas disponíveis a que se somam horários feitos numa lógica de gestão que tem mostrado vir sempre atrás dos acontecimentos, a roçar o amadorismo e com a rigidez do expediente das 9 às 5.

Ainda diversos aeroportos não podem receber voos em horário nocturno e são recorrentes as queixas de voos bloqueados com meses de antecedência ou sem ligações em condições que promovam a mobilidade.

Para os residentes e para o turismo interno aproxima-se o caos das listas de espera, promovido pelas incidências das danças de cadeiras que se vão arrastando à mesa do orçamento, onde o caos também é esperado.