Regresso ao passado – Opinião de João Bruto da Costa
Publicado em 05 de Fevereiro, 2018

Em plenário recente da Assembleia Regional, a maioria socialista afirmou que o transporte marítimo feito pelos Cruzeiros (Das Ilhas e Do Canal) era “um regresso ao passado”.

Depois do infeliz acidente com o navio Mestre Simão, e por indisponibilidade do Gilberto Mariano, o transporte marítimo de passageiros e viaturas ficou totalmente dependente desses Cruzeiros do passado.

Os Cruzeiros navegam nos Açores desde os idos 1987/88 e ficar a economia do triângulo dependente deles talvez constitua, como disse o PS, um regresso ao passado. Governo e empresa por si tutelada já fizeram saber que até 2019 não haverá outro navio para substituir o que agora se perdeu, isto é, fica apenas o Gilberto Mariano, quando disponível, a assegurar com os Cruzeiros aquele importante meio de transporte.

Em 2017, o Governo entregou à Atlanticoline 38 milhões de euros para o transporte marítimo de passageiros e viaturas, regular e sazonal, até 31 de dezembro de 2019.

Estou certo de que a Atlanticoline deve estar a cumprir o caderno de encargos que justificou aquele valor, mas se assim não for, então que venham o Terra Alta, o Santo Amaro, o Ponta Delgada e a Espalamaca, pois se é para regressar ao passado então todo o Grupo Central passa a ser servido.