Esclarecimento do grupo parlamentar do PSD/Açores
Publicado em 06 de Fevereiro, 2018
Na sequência do comunicado dos deputados do Partido Socialista sobre os CTT, o grupo parlamentar do PSD/Açores vem esclarecer o seguinte:
A privatização dos CTT foi uma medida imposta pela ‘troika’ a Portugal, em maio de 2011, quando o governo de José Sócrates, entusiasticamente apoiado durante seis anos pelos camaradas do PS/Açores, declarou a bancarrota do país e teve de recorrer à ajuda externa.
O governo que se seguiu foi obrigado a cumprir esta pesada herança e a privatizar a empresa. Aliás, o tristemente célebre PEC 4 – Programa de Estabilidade e Crescimento –, apresentado por José Sócrates em março de 2011, também já previa a privatização dos CTT.
Na altura, após a assinatura do memorando da ‘troika’ pela mão de José Sócrates, o PS/Açores não teve coragem de criticar as medidas previstas no documento e que em muito viriam a penalizar os Açores.
Aliás, o atual presidente do grupo parlamentar do PS/Açores, André Bradford, teve mesmo o descaramento de afirmar que o memorando da ‘troika’ foi “globalmente positivo” para os Açores.
Mas a falta de vergonha dos deputados socialistas não se fica por aqui. O PS/Açores, tão lesto a criticar o mau serviço prestado por uma empresa privada na Região, é o mesmo que assobia para o lado quando a Caixa Geral de Depósitos – o banco público – decide encerrar balcões nos Açores.
O PS/Açores finge-se autonomista quando o governo da República não é da sua cor e rebaixa-se aos interesses partidários do PS em Lisboa sempre que o governo nacional é socialista.
O PS/Açores há muito que perdeu a vergonha. Agora perdeu a legitimidade moral e política para criticar o PSD.