PSD/São Miguel defende conselho de ilha apartidário
Publicado em 20 de Janeiro, 2018

A Comissão Política de Ilha de São Miguel do PSD/Açores defende que o conselho de ilha deve ser dirigido por figuras “apartidárias”.

A intenção social democrata vai ao encontro daquilo que se pretende como “uma representação da sociedade civil, através da eleição de uma mesa que seja representativa dos vários organismos da sociedade micaelense, representados no conselho de ilha”, cuja eleição está marcada para o próximo dia 8 de fevereiro.

Para o PSD micaelense, “só desta forma é que se poderá ter um órgão que possa defender os interesses da ilha, dando mais voz à sociedade e combatendo a partidarização que o Partido Socialista vem tentando impor no conselho de ilha de São Miguel”, referem.

Segundo dizem, “no último mandato autárquico, ficou bem vincada a tentativa do PS instrumentalizar aquele órgão, tentando a toda a força colocar dirigentes seus na respetiva presidência”, lembram os social democratas.

Atendendo às últimas eleições autárquicas, em que o PSD conquistou três dos seis municípios micaelenses, representando os mesmos mais de 80% da população da ilha, “ao invés de querer tomar as rédeas daquele órgão, o PSD defende que se deve dar lugar à representatividade da sociedade civil, e dessa forma despolitizar um órgão que se quer independente e intransigente na defesa dos interesses da ilha de São Miguel”, defendem.

O PSD/São Miguel estará também “atento às manobras do Partido Socialista, e denunciará qualquer anomalia detetada, quer na indicação dos respetivos membros das assembleias municipais, quer na representatividade das juntas de freguesia no conselho de ilha de São Miguel”, concluem.