PSD/Açores requer debate de urgência sobre responsabilidade de Vasco Cordeiro no caso da ARRISCA
Publicado em 11 de Janeiro, 2018

O grupo parlamentar do PSD/Açores requereu um debate de urgência no parlamento açoriano, a acontecer na sessão plenária da próxima semana, sobre as irregularidades detetadas pela Inspeção Regional de Saúde na ARRISCA e a responsabilidade de Vasco Cordeiro, presidente do Governo regional.

Em causa está a gestão danosa, para benefício pessoal, da atual diretora regional de Prevenção e Combate às Dependências, Suzete Frias, enquanto dirigente da ARRISCA, dos apoios públicos atribuídos pelo Governo a esta IPSS com a cobertura e a cumplicidade do presidente do executivo açoriano.

Vasco Cordeiro conhece o relatório da autoria da Inspeção Regional de Saúde à ARRISCA – onde são denunciadas irregularidades que configuram uma violação ética e moral – desde fevereiro de 2016 e, em novembro desse mesmo ano, depois de esconder esse mesmo relatório, premiou Suzete Frias com a sua nomeação para diretora regional da Prevenção e Combate às Dependências.

“Por ação e omissão, o Dr. Vasco Cordeiro é o responsável por esta situação que, caracterizando a governação, identifica o governante. Desde que foi notícia pública, já passou tempo mais do que suficiente para que fossem tomadas medidas”, afirmou Duarte Freitas, esta terça-feira, depois de o PSD/Açores pedir a demissão da ex-dirigente da ARRISCA das funções de diretora regional.

O líder do PSD/Açores afirma que a manutenção em funções de Suzete Frias como diretora regional, após as irregularidades denunciadas, “dá bem nota do estado que o nosso regime chegou”, frisando que “não se está a falar de obras, projetos, decisões ou, sequer, opções políticas. Estamos a falar de decência”.