Consequências da greve na Atlânticoline para o Triângulo preocupa PSD/Açores
Publicado em 04 de Janeiro, 2018

O grupo parlamentar do PSD/Açores expressou a sua preocupação com as consequências da greve na Atlânticoline, que irá afetar as ligações marítimas entre o Faial, Pico e São Jorge, para a economia e para quem vive ou visita o Triângulo, e apela a todas as partes para que sejam retomadas as negociações com vista a um entendimento sobre o Acordo de Empresa.

Segundo Carlos Ferreira e Luís Garcia, “as ligações marítimas diárias entre o Faial, Pico e São Jorge são essenciais não só do ponto de vista económico, mas também para a mobilidade dos seus habitantes e dos seus visitantes”, frisando que as mesmas são inclusive usadas para “deslocações profissionais e de saúde”.

Os deputados do PSD/Açores falavam no final de uma reunião, ontem, na Horta, com o Sindicato dos Trabalhadores da Marinha Mercante, Agências de Viagens, Transitários e Pesca, e com representantes dos trabalhadores, para inteirarem-se dos motivos da greve que começa hoje e que se estende até dia 18 de janeiro.

“Independentemente do direito à greve e da justeza de muitas das reivindicações dos trabalhadores da Atlânticoline, entendemos que deve ser retomado o diálogo entre todas as partes para que se encontre rapidamente uma plataforma de entendimento, para que a greve possa ser suspensa e para que sejam retomadas as negociações entre trabalhadores e a empresa”, defendem.

Carlos Ferreira e Luís Garcia adiantam ainda que já solicitaram uma reunião ao Conselho de Administração da Atlânticoline, empresa pública de transporte marítimo de passageiros e de viaturas no arquipélago, no âmbito das suas competências como deputados eleitos à Assembleia Legislativa dos Açores.