Sabrina Furtado insultada por Ricardo Rodrigues em Assembleia Municipal
Publicado em 07 de Dezembro, 2017

Sabrina Furtado, vereadora do PSD e presidente do PSD de Vila Franca do Campo, foi fortemente insultada na reunião da Assembleia Municipal de ontem, pelo presidente da autarquia, Ricardo Rodrigues, tendo solicitado o uso da palavra para se defender, o que lhe foi negado pelo presidente de câmara.

A vereadora explica que, “numa declaração política, em que relatou a sua versão de alguns desentendimentos tidos em reunião de câmara, Ricardo Rodrigues, insultou-me por várias vezes, num comportamento que é lamentável num presidente de câmara, seja de que partido for”, afirma.

“Nada do que fez o senhor presidente de câmara dignifica a Democracia, e é por este tipo de episódios, por ele protagonizados, que os cidadãos estão cada vez mais afastados da Política”, refere a social democrata.

“O comportamento intempestivo do Dr. Ricardo Rodrigues é conhecido e recorrente mas, em Democracia, todos devemos, em espaço próprio, ter a oportunidade de contrapor e de apresentar a nossa versão dos factos”, adianta Sabrina Furtado.

A vereadora do PSD solicitou a palavra depois da missiva que lhe foi dirigida pelo edil camarário, tendo-lhe a mesma sido negada pelo próprio: “no fim da reunião, fui posicionar-me no espaço aberto ao público, e pedi novamente a palavra, que me foi negada pela segunda vez”, explica.

Sabrina Furtado voltou a pedir a palavra: “para defesa da honra, o que está previsto no artigo 48º, ponto 5 da Lei 75/2013, que diz que os vereadores podem ainda intervir para o exercício do direito de defesa da honra. Que não me foi concedida”, avança.

A vereadora do PSD explica que, “para que se entenda, o que está em causa são atitudes comportamentais e autoritárias que têm de acabar e que são lamentáveis. É tão ridícula a situação que nem sei bem como relatar, mas houve uma reunião de câmara a que fui com uma grande gripe e, em vez de cumprimentar o senhor presidente da câmara com dois beijinhos, como faço desde que o conheço, institucionalmente apenas, expliquei que estava doente e que não o queria afetar, cumprimentando-o com um aperto de mão. Ao que Ricardo Rodrigues além de não aceitar o meu aperto de mão, respondeu com um rol de insultos, transportando o episódio para o campo pessoal. Desde aí, sempre que lhe estendo a mão, recusa-se sequer a cumprimentar-me. É esta a banalidade e pequenez de assunto que provoca o comportamento altivo e intempestivo com que o presidente da câmara de Vila Franca do Campo nos tem brindado”, sublinha.

Sabrina Furtado refere ainda que, em sequência, “quando o senhor presidente diz que o PSD não se apresenta como alternativa, esquece-se que o PSD teve 40% dos votos dos Vilafranquenses nas ultimas eleições. Habitue-se a lidar com isto. Não estamos numa Vila de partido único. Pelo que a tentativa de exercício de força e pressão não me comove, não vou pactuar com essa forma de estar na política por mais que o tom de voz e os insultos de Ricardo Rodrigues estejam alterados”, reforça.

“Fomos legitimamente eleitos para defender o nosso concelho e todos os Vilafranquenses. A estes tenho a dizer que lamento esta infelicidade comportamental protagonizada pelo senhor presidente da câmara, esperando que o mandato, apesar destes episódios, decorra dentro da normalidade, sem confrontos nem desacatos. Sendo que, no exercício das minhas funções, exijo respeito”, conclui Sabrina Furtado.