Governo insiste em excluir das prioridades regionais investimentos que são estratégicos para o Faial, alertam Carlos Ferreira e Luís Garcia
Publicado em 05 de Dezembro, 2017

Os deputados do PSD/Açores eleitos pelo Faial consideram que só por “teimosia política” o Governo regional insiste em excluir das prioridades regionais investimentos que são estratégicos para o Faial, como prova o chumbo do PS às propostas de alteração do PSD/Açores ao Plano e Orçamento da Região para 2018.

Carlos Ferreira e Luís Garcia defenderam, no parlamento açoriano, as propostas do grupo parlamentar do PSD/Açores de reforço da verba para a construção do quartel dos Bombeiros Voluntários, bem como uma verba para iniciar a construção da 2ª fase da variante à Horta e outra para a elaboração do projeto de ampliação da pista do aeroporto.

Todas essas propostas, que os parlamentares social-democratas açorianos consideram ser “estruturantes para o desenvolvimento do Faial”, foram chumbadas pela maioria socialista.

A 2.ª fase da variante à Horta é um investimento reivindicado pelo Conselho de Ilha e, segundo os deputados, “a não construção desta pequena estrada com menos de 2 km condiciona o desenvolvimento da ilha dadas as óbvias implicações e complementaridade, por exemplo, com o reordenamento do porto e do próprio transito na cidade”.

A promessa de construção de uma variante à cidade da Horta figurava no manifesto eleitoral do PS em 1996 e no Plano do Governo em 1997, mas “como quase todas as obras públicas no Faial a sua construção foi encurtada, dividida em fases e adiada no tempo”.

“Em 21 anos o PS e o Governo construíram uma meia variante de 2,5 kms”, frisam.

Também a proposta de 150 mil euros para a elaboração do projeto de ampliação da pista do aeroporto da Horta foi chumbada pela totalidade dos deputados do PS. Carlos Ferreira e Luís Garcia lembram que em março deste ano, na discussão do Plano e Orçamento para 2017, o PS havia chumbado essa mesma proposta dos social-democratas açorianos.

“A ampliação da pista do aeroporto da Horta é mais uma promessa não cumprida do PS e do Governo regional aos faialenses e, inclusivamente, já fez parte dos Planos e Orçamentos da Região”, lembram os deputados do PSD/Açores eleitos pelo Faial.

Em relação à construção do quartel de bombeiros, o PSD/Açores propôs um reforço de 240 mil euros aos 100.000 euros inscritos pelo Governo no Orçamento para 2018.

Carlos Ferreira e Luís Garcia defenderam essa proposta, que também acabou chumbada pelo PS, alegando que o montante inscrito pelo executivo é insuficiente para o arranque da obra no próximo ano, como refere, de resto, o parecer do Conselho de Ilha do Faial aos documentos provisionais aprovados exclusivamente com os votos da bancada do PS.