Chumbo de iniciativa sobre a Descontaminação foi “sectarismo”
Publicado em 24 de Novembro, 2017

O deputado do PSD/Açores na Assembleia da República, António Ventura, considerou ontem que o chumbo da proposta do PSD para a descontaminação dos solos e aquíferos da Praia da Vitória foi “uma decisão sectária, aliás como tem sido feito com todas as propostas que vem do PSD”.

“Por inacreditável que pareça, as propostas do BE e do PCP, que foram aprovadas, tinham o mesmo teor da do PSD mas, como já se percebeu, para o PS vale mais a origem das propostas do que a efetiva resolução dos problemas das pessoas”, disse o social democrata.

“E a isso chama-se sectarismo. Ou seja, o PS só rejeitou a proposta do PSD porque vinha do PSD”, criticou o deputado.

António Ventura lembrou que o PSD anunciou que iria apresentar uma proposta para a descontaminação em julho de 2017: “Ora, pelo menos ficamos satisfeitos por todos os outros partidos terem seguido a nossa iniciativa”, adianta.

“Agora é preciso que o Governo execute as propostas do BE e do PCP, e nessa matéria temos um historial de incumprimento”, alerta o parlamentar do PSD, lembrando que no Orçamento do Estado para 2017 se lia “que o Governo ia executar o Plano de Revitalização Económica da Ilha Terceira (PREIT), onde se incluíam os 100 milhões de euros anuais para a descontaminação. E não foi executado”, explica.

“Recordo igualmente que, para este Governo, o PREIT vale zero, como disse o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Santos Silva”, acrescenta António Ventura.

O deputado acusa mesmo o executivo de António Costa de andar “a enganar os terceirenses. Aliás, enganou nos dois anos que já leva de mandato, porque nunca houve dinheiro para a descontaminação. Por isso vamos estar vigilantes e vamos acompanhar todo esse processo politico”, assegura.

O deputado do PSD garante ainda que “não vamos parar de atuar politicamente até existir uma descontaminação abrangente e responsável dos solos e aquíferos da Ilha Terceira”, concluiu.