Produtos agroalimentares açorianos devem ser internacionalizados
Publicado em 05 de Julho, 2017

Os deputados do PSD/Açores na Assembleia da República, Berta Cabral e António Ventura, apresentaram um projeto de resolução para “a valorização dos produtos agroalimentares açorianos, envolvendo o Governo Regional e os demais parceiros sociais”.

A iniciativa social democrata pretende que o Governo português estabeleça, !um plano de internacionalização dos agroalimentos açorianos”, adiantou António Ventura, lembrando que, “dentro do setor da agricultura, a produção de leite e a sua transformação, constituem um dos principais alicerces da Economia regional”.

“A agropecuária representa cerca de 32% da produção de leite nacional e 50% do queijo”, refere o deputado, sustentando que “aproximadamente 80% da produção de lácteos açoriana é expedida, especialmente, para o continente português”.

“Ou seja, os Açores produzem cinco vezes mais leite do que o que consomem, o que justifica a existência de uma consistente política de transportes e de prospeção de mercados”, acrescentou António Ventura.

Os parlamentares do PSD/Açores defendem um reforço “da integração das industrias açorianas no âmbito das missões diplomáticas/empresariais, sempre que estejam em causa interesses para a fileira agroalimentar dos Açores”, assim como o acompanhamento político “desse futuro plano de internacionalização dos nossos produtos”, adiantam.

“Nos Açores, as produções agrícolas locais, ultrapassam a dimensão económica, sendo um importante fator social, onde se destaca a criação de emprego e a fixação de pessoas no meio rural, sobretudo de jovens”, refere ainda o deputado açoriano, para quem é essencial que uma estratégia para os agroalimentos açorianos “passe pela comercialização exterior, pela afirmação dos mercados existentes e por uma continua procura de novos mercados”.

Acresce que o preço pago aos produtores de leite nos Açores “não tem sofrido aumentos, quando comparado com os restantes Estados da União Europeia (UE). Ou seja, a crise persiste com preços baixos aos produtores, e essa situação tem de se inverter”, alerta o social democrata.

“Portugal está autorizado pela UE a rotular as embalagens de leite e de produtos lácteos com a indicação da origem portuguesa, sendo essa diferenciação uma oportunidade de valorização dos produtos açorianos. Faltam um forte suporte de promoção nos mercados tradicionais e, principalmente, a referida busca de novos mercados externos”, conclui.