Duarte Freitas defende identidade e investimento da diáspora açoriana
Publicado em 02 de Março, 2016

O presidente do PSD/Açores defendeu, na Califórnia, a necessidade de desenvolver uma aposta estratégica na afirmação da identidade das comunidades açorianas e na captação de investimento por parte dos emigrantes.

Duarte Freitas, que falava para várias dezenas de emigrantes reunidos em sua honra na “Aliança Açoriana” de San Diego, explicou que tanto “é preciso afirmar a identidade das nossas comunidades junto das respetivas sociedades de acolhimento” como “é conveniente captar o investimento da diáspora para o desenvolvimento económico dos Açores”.

O candidato à presidência do Governo Regional afirmou que as novas gerações da emigração açoriana “precisam e merecem um apoio adequado por parte da Região Autónoma dos Açores para se sentirem motivadas a conhecer e a afirmar a sua identidade cultural”. Para isso, explicou Duarte Freitas, “temos que saber chegar aos filhos e netos dos nossos emigrantes”.

“Mas a relação entre os Açores e a diáspora não pode ser apenas de âmbito cultural”, prosseguiu o líder social-democrata açoriano. “Ela tem que ser, também e cada vez mais, uma relação de natureza económica”, acrescentou.

Neste sentido, Duarte Freitas defendeu uma maior atenção do Governo dos Açores na criação de oportunidades de investimento para uma efetiva participação dos emigrantes açorianos no desenvolvimento económico da Região. “Conheço muitos emigrantes interessados em investir nos Açores, pelo que temos a obrigação de facilitar e aproveitar essa vontade”, disse.

“Comigo como Presidente do Governo, a partir das próximas eleições regionais, tudo faremos para desenvolver o esforço de proximidade que se impõe entre a Região e as comunidades açorianas, com mais identidade na diáspora e com mais investimento nos Açores”, declarou Duarte Freitas.

Este encontro de Duarte Freitas com a comunidade açoriana de San Diego marcou o primeiro dia da visita do líder do PSD/Açores à Califórnia. A sessão teve lugar no salão da “União Portuguesa” e foi promovida pela “Aliança Açoriana”, uma associação fundada em 1975 que reúne atualmente mais de 250 famílias.