Comunicado da comissão política concelhia de Ponta Delgada – 2 de março de 2016
Publicado em 02 de Março, 2016

Juntas de Freguesia do PS contra construção de nova escola nas Capelas

Ao longo dos anos foi promessa eleitoral dos diversos Governos do Partido Socialista a construção de um novo edifício para a Escola Básica 2,3 de Capelas, estando prevista na Carta Regional das Obras Públicas e contemplada nos Planos e Orçamentos de 2014, 2015 e 2016 uma rubrica para a construção de novas instalações.

Em junho de 2014 o Governo Regional abriu um concurso público para adjudicação do projeto relativo à “construção da nova EBI de Capelas, com complexo desportivo e polidesportivo exterior”. O anúncio do concurso menciona que “prevê-se a demolição do edificado existente, bem como a ligação à Escola Profissional de Capelas”, sendo o prazo para envio das propostas de 42 dias.

Ora, no passado dia 18 de janeiro o Governo Regional encerrou o bloco D da Escola Básica e Integrada de Capelas, por razões de segurança. E volvidos três dias, no Telejornal da RTP/Açores, o Secretário Regional da Educação e Cultura afirmou que “irá fazer uma orçamentação da requalificação de todos os blocos da escola, e em relação ao bloco D, que é o bloco afetado, avançaremos para a construção de um novo bloco”. Referiu ainda que “esta situação apenas antecipou uma intervenção que estava destinada para um pouco mais tarde”. Isto, não cumpre, portanto, a promessa, com mais de 10 anos, para a construção de uma nova escola.

O Governo Regional e o Partido Socialista dão o dito pelo não dito. Estamos perante um Partido Socialista que já vai com 20 anos de Governo. Um Governo gasto que não é fiável nem confiável.

Na Assembleia Municipal de Ponta Delgada, assistimos a mais uma “manobra de diversão” por parte da bancada do PS ao tentar aprovar uma moção que defendia a reabilitação e não a construção da nova Escola Básica Integrada de Capelas.

O PSD de Ponta Delgada lamenta o voto favorável por parte dos presidentes de junta do PS das freguesia do Pilar, Remédios, Santo António e da Vila de Capelas, que preferiram submeter-se à vontade do Partido Socialista do que estarem ao lado da comunidade educativa que reivindica uma nova escola.

Perante esta tomada de posição, é no mínimo exigível, que os referidos presidentes de junta expliquem a quem os elegeu as razões por terem defendido a reabilitação e não a construção da nova escola EBI de Capelas.