A Saga de Fraga – Opinião de Cláudio Lopes
Publicado em 09 de Março, 2016

O atual Governo Regional, que cessa funções no próximo outono, é, claramente, o pior Governo do ciclo governativo socialista dos últimos vinte anos.

Nada de pessoal me movendo contra a pessoa, considero que o Secretário Regional do Turismo e dos Transportes, Vítor Fraga, tem tido um dos piores desempenhos neste Governo de Vasco Cordeiro.

Este governante falhou nos Transportes, aéreos e marítimos.

As políticas dos transportes aéreos e a ingerência praticada na SATA, levaram esta empresa à beira da falência técnica, sufocando-a numa dívida brutal e contribuindo para a má imagem do importante serviço público por ela prestado.

Nos Transportes marítimos de passageiros e viaturas a aposta num novo modelo, no qual já se investiram quase duzentos milhões de euros e ainda se pretendem investir mais cerca de duzentos milhões de euros, as coisas não tem corrido nada bem.

No Triângulo, onde o modelo já se iniciou, o que nos tem sido oferecido até agora, foi maior comodidade e conforto nos meios de transporte (novos navios), isso é inegável, mas em contraponto, temos tido maior número de cancelamentos, a redução de uma viagem no canal Faial/Pico, viagens mais caras, sentimento generalizado de insegurança e incerteza de horários e de itinerários entre as ilhas do Pico e de São Jorge.

Os 22 milhões de euros gastos em infraestruturas na baía do porto da Madalena, baixaram os níveis de operacionalidade daquele porto, destruíram a estética da principal porta de entrada da ilha e trouxeram alguns problemas ambientais (a maior acumulação de algas).

Quanto aos incidentes e acidente ocorridos, depois de lhe ter sido omitida pelo responsável da “Portos dos Açores”, durante 5 meses, a informação sobre o arranque de um cabeço de amarração no porto da Horta (que poderia ter sido fatal), de terem sido arrancados dois outros cabeços da rampa da Madalena e de ter-se dado um acidente mortal com o colapso de outro cabeço de amarração, no porto de São Roque, (por evidente incúria da “Portos dos Açores” na manutenção dos cabeços), o Secretário Vítor Fraga afirmou não ter responsabilidade política e o Presidente Vasco Cordeiro declarou que o que importava era evitar novos acidentes. Depois de tudo isto, os dois entenderam premiar o Presidente da “Portos dos Açores”, com a recondução no cargo, renovando-lhe toda a confiança política.

Após o acidente mortal em São Roque (a 14 de novembro/14), a “Portos dos Açores” demorou 3 meses para fazer uma inspeção aos cabeços do Porto de São Roque. Esta inspeção (realizada em fevereiro/15), confirmou que em 17 cabeços, 14 deles estavam em péssima e má condição.

A “Portos dos Açores” demorou mais 7 meses para adjudicar um Estudo à PROMAN sobre o dimensionamento dos cabeços de amarração necessários para os portos da Madalena, São Roque, Horta e Velas.

Se tudo correr bem, só lá para maio deste ano (um ano e meio depois do acidente mortal) poderemos ter novos cabeços de amarração no porto de São Roque e a retoma da normalidade do serviço público de transporte marítimo de passageiros e de viaturas naquele porto.

Será que isto é revelador de uma atitude diligente e responsável da “Portos dos Açores” e da tutela governativa? Creio que não.

O Secretário Regional Vítor Fraga, que tutela esta empresa pública continua a não agir, apenas a reagir. Continua a dar cobertura à negligência e à irresponsabilidade. E continua a ter a confiança política do Presidente Vasco Cordeiro. Estamos esclarecidos.

Vítor Fraga quanto mais fala, menos faz. Ou, como diz o nosso povo: «quanto mais fala mais se enterra».

Assim se passa na implementação do PIT – Plano Integrado de Transportes, mas igualmente na execução da CROP – Carta Regional das Obras Públicas.

A governação não se avalia pela “Filosofia”, mas sim pela sua “Contabilidade”.

Se Vítor Fraga é irresponsável, Vasco Cordeiro é responsável por isso!