Porto da Praia da Vitória “não pode perder mais 20 anos”
Publicado em 04 de Fevereiro, 2016

O presidente do PSD/Açores defendeu uma “remodelação” na utilização do porto da Praia da Vitória, aproveitando todas as suas valências e rentabilizando-as no imediato, através da captação de investimento externo, alegando que “não se pode perder outros 20 anos a falar desta infraestrutura sem agir”.

“Temos de ir aos mercados mundiais, contatar eventuais interessados, estudar como e quem irá investir no porto da Praia da Vitória, concertando isso com a hipótese de ter uma estrutura com tributação diferenciada, como já foi anunciado há alguns meses”, adiantou Duarte Freitas, ápós uma visita àquela infraestrutura portuária.

Para o líder social-democrata, o ideal seria “que as mercadorias pudessem ser transformadas e reexpedidas aqui”, num conceito aproveitado “do anúncio feito por Pedro Passos Coelho, mas que deve ser desenvolvido em paralelo com a prospeção dos mercados internacionais”.

Para Duarte Freitas, tem de ser “encontrado um equilíbrio entre as potencialidades deste porto e sua sustentabilidade, visando a criação de emprego e a criação de riqueza, desenvolvendo a Terceira e os Açores”.

“Como presidente do Governo Regional, a partir de outubro, comprometo-me a que se passe dos anúncios aos atos. E vamos encontrar os potenciais interessados em operar aqui, num regime de concessão, tendo em vista a privatização do porto”, disse.

Duarte Freitas está ciente de que “a capacitação deste porto, através dessa pretendida concessão, irá também servir melhor os Açores e a Terceira em termos de preços. É necessária uma lógica consequente, de forma a que este porto seja um pólo dinamizador da nossa economia, e isso só vai acontecer reposicionado as suas valências”.

O presidente do PSD/Açores reforçou que “é preciso rever toda a lógica da estrutura do Porto da Praia da Vitória, no que se refere aos passageiros e às mercadorias, assim como na instalação de indústria nas zonas adjacentes, atraindo o capital nacional e estrangeiro por via da tributação diferenciada e da operação do porto”.