Estão a dar cabo disto – Opinião de João Bruto da Costa
Publicado em 03 de Fevereiro, 2016

Em 2014, o PSD/Açores pediu uma auditoria do Tribunal de Contas (TC) à SATA.

As razões eram conhecidas de todos: a SATA tem vivido grandes tormentos com um acumular de dívidas e erros de orientação por parte do seu accionista único (o Governo Regional), tornando-se exigível que se conheça em pormenor o que tem sido a vida desta empresa, pois o seu futuro não pode continuar entregue aos humores dos dirigentes do PS.

Entre 2009 e 2013 (período analisado pelo TC), a dívida financeira registou um acréscimo de 114 milhões de euros, fixando-se, neste último ano, em 142,5 milhões de euros, dos quais 92,3 milhões de euros eram exigíveis a curto prazo.

Por isso os resultados financeiros da SATA agravaram-se entre 2009 e 2013, passando de 367,4 mil euros negativos para 7,9 milhões de euros, igualmente negativos, aumentando a pressão financeira sobre o grupo.

Se numa Comissão de Inquérito sobre a SATA as conclusões foram feitas à medida do Governo Regional Socialista, tendo o partido que o suporta aprovado sozinho essas conclusões – numa atitude muito corriqueira na nossa região em que apenas o PS tem o condão de saber a verdade – nada do que o PS concluiu acerca da sua influência e decisões sobre o rumo da mais importante empresa dos açorianos corresponde à dura realidade.

A governação dos Açores, carregada dos vícios de um poder absoluto, tem levado a que as empresas públicas sirvam para o deleite político dos dirigentes socialistas regionais (e não só), acumulando dívidas e erros de estratégia que podem condicionar o futuro dos Açores e a saúde financeira da região.

Aquilo que já foi intitulado de regabofe é um estado de espírito próprio de quem se desligou da realidade e vive num mundo muito seu, só seu, a trabalhar apenas para o interesse político do seu partido e imbuído de uma única ideia de sociedade: a de que só neste regime socialista de 20 anos podem sobreviver politicamente e só isso motiva todas as suas decisões.

No Parlamento dos Açores, o Presidente do Governo Socialista rejubilava por ter garantido a vinda de turistas para os Açores dando orientações à SATA para operar em rotas deficitárias.

A verdade que agora sabemos revela, porém, que essas rotas não trouxeram os turistas desejados, conforme provam as estatísticas daquele período, e acumularam-se dívidas para levar turistas para a Madeira!!!

Mais uma vez, o status quo socialista regional optou pela retórica dos argumentos populistas, apenas para assegurar mais uns sound bites.

Nesse mesmo sentido, e perante o descalabro de uma empresa como a SATA, levada à beira da ruína, os instalados no poder vieram recriminar, imagine-se, a oposição, em particular o PSD, por, dizem, fazer campanha eleitoral com a SATA!!!

Só mesmo quem não tem um pingo de vergonha, depois de se saber que a sua postura como “donos” da empresa praticamente a destruiu é que pode achar que tudo devia ser mantido no segredo dos corredores do poder.

Só faltava mesmo era que quem quer que a SATA e as outras empresas públicas regionais sirvam os açorianos e não sejam brinquedo nas mãos do poder, não desse nota da vergonha em que esta governação se tornou.

Temo que, no futuro, saibamos ainda mais sobre as diatribes daqueles que se acham donos dos Açores.

Chegamos a um ponto em que já nem é só de uma cura de oposição que este poder de 20 anos precisa, os Açores é que não merecem ser mais torturados por uma governação que está, efectivamente, a dar cabo disto tudo!