Obra da Ribeira da Agualva é “trabalho incompleto”
Publicado em 16 de Dezembro, 2015

Os deputados do PSD/Açores eleitos pela Terceira consideraram que a obra levada a cabo pelo Governo Regional na Ribeira da Agualva “é um trabalho incompleto”, lembrando que se investiram “cerca de três milhões de euros numa grande intervenção”, mas que há troços da ribeira, “bem extensos e preocupantes, onde nada se fez”, disse o deputado Luís Rendeiro.

O social-democrata falava após uma visita ao local, onde explicou que “agora queremos conhecer as razões desse desequilíbrio, pois fez-se muito em alguns sítios e não se fez nada noutros”, avançou, analisando as diversas vertentes do problema.

“É que, na parte da ribeira que ficou por intervencionar, estão em risco a segurança de pessoas e bens, pois há ainda grandes blocos de pedra e grandes massas que se soltaram ao longo do percurso da mesma, que podem voltar a causar problemas se houver uma nova enxurrada”.

“E depois temos o problema do acesso das pessoas a terrenos agrícolas, aos quais acediam por pontes e passagens que não foram repostas, tornando agora inacessível essa área de cultivo”, frisou o vice-presidente da bancada parlamentar do PSD/Açores.

Segundo Luís Rendeiro, o Governo Regional deve esclarecer se “vai ou não concluir o que ficou por fazer nas zonas da ribeira que não foram alvo de qualquer intervenção, de modo a restringir as possibilidades de se repetirem dramas bem recentes, como o sucedido fez ontem seis anos”, lembrou, “até porque foi dito, no final das obras, que no troço que é crítico, estavam acabado todo o que tinha a ver com a segurança de pessoas e bens”, citou.

Os social-democratas entregaram hoje um requerimento na Assembleia Legislativa, para saber se as obras “cumpriram integralmente o projeto inicial, ou se o mesmo ficou por cumprir”, daí que solicitem igualmente “a explicação necessária para justificar que algumas zonas não tenham sofrido qualquer intervenção”.

Luís Rendeiro frisou, por outro lado, que, “sendo este o último ano de mandato do atual governo”, a tutela deve esclarecer “porque não há qualquer verba destinada a salvaguardar a segurança de pessoas e bens” no local, deixando claro que, “a haver mais intervenções na Ribeira da Agualva, já não será este governo a fazê-las, pelo que aguardaremos pelo desenvolvimento da questão. Até porque temos as nossas propostas e esperamos que seja um próximo governo do PSD a pô-las em prática”, assegurou.

O deputado do PSD/Açores sublinhou ainda que o valor orçamentado para a manutenção de ribeiras nos Açores em 2016 – cerca de 2,7 milhões de euros -, “é notoriamente insuficiente, e não fará face a todos os problemas que se apresentam”, tendo mesmo dado como referência que, “neste caso, da Agualva, foram investidos cerca de 3 milhões de euros, que é mais do que o Governo Regional alocou para a totalidade das ribeiras do arquipélago no próximo ano”, concluiu.