Núcleo de recreio náutico das Flores com “degradação anormal”
Publicado em 14 de Dezembro, 2015

O PSD/Açores denunciou a “anormal degradação” que apresenta o Núcleo de Recreio Náutico das Lajes das Flores, uma situação que “põe em causa a segurança daquela estrutura, inaugurada em 2012, e que queremos aferir se é do conhecimento pleno do Governo Regional”, disse o deputado Bruno Belo.

O social-democrata já entregou mesmo um requerimento na Assembleia Legislativa, onde questiona a tutela sobre o facto, avançando que o estado de degradação patente, “é efetivamente anormal para o seu tempo de vida útil, sendo que o pontão do molhe de proteção do lado norte se encontra partido, constituindo perigo para todos quantos utilizam o porto”, explica.

Além disso, “a rede de distribuição de energia elétrica existente está parcialmente desligada, pelo facto de não garantir condições de segurança, ou seja está mesmo em causa a plena utilização do Núcleo de Recreio Náutico das Lajes das Flores. Além de que é preciso prevenir futuros problemas”, alerta Bruno Belo.

“Temos sido confrontados com um passado recente em que acontecem problemas com os portos nos Açores”, lembra o deputado do PSD/Açores, frisando que “estas obras se revestem de uma importância acrescida, pois podem contribuir para transformar a Região num lugar privilegiado de atração do iatismo internacional, dada a nossa localização geográfica ímpar”.

Bruno Belo não deixa de criticar toda a “morosidade” que a obra em questão “arrastou”, querendo saber por parte do Governo Regional se existem relatórios “da entidade gestora da infraestrutura dando conta da atual situação, e quais as diligencias efetuadas no sentido de solucionar o problema”, acrescentou.

“As obras efetuadas naquele porto foram anunciadas em 2000, apenas foi iniciada a sua construção em 2008 e a atual estrutura foi inaugurada em 2012. Neste momento, e sem a obra estar completamente concluída, já apresenta um dano bem visível e que carece de reparação urgente”, refere.

O social-democrata considera que “os mitos mediáticos do PS não se sobrepõem aos problemas do quotidiano”, e que esta “é mais uma das elevadas faturas que o PS tem vindo a passar aos açorianos”.

“Já é tempo dos açorianos deixarem de pagar essa elevadas faturas ao PS”, concluiu.