PSD/Açores denuncia “falta de resultados positivos” no combate à toxicodependência
Publicado em 25 de Novembro, 2015

O PSD/Açores denunciou a “falta de resultados positivos” da governação socialista no combate à toxicodependência, alegando que os Açores “são a região do país com maior consumo de drogas em meio escolar”.

“O problema está na falta de resultados positivos da governação socialista da Região. Que o digam as numerosas famílias que tanto sofrem com este problema da toxicodependência. Pergunte-se às famílias açorianas que sentem na pele, no dia-a-dia, os horrores da toxicodependência, se estão satisfeitas com aquilo que o governo regional tem feito ou não tem feito para combater a toxicodependência”, afirmou o deputado social-democrata Cláudio Almeida, na Assembleia Legislativa dos Açores, no debate do Plano e Orçamento para 2016.

O parlamentar do PSD/Açores salientou que o Relatório sobre a Situação do País em Matéria de Drogas e Toxicodependências, da autoria do Instituto da Droga e da Toxicodependência, revela que os Açores “são a região do país com maior consumo de drogas em meio escolar e a região com mais jovens estudantes do terceiro ciclo a consumirem produtos estupefacientes”.

“O relatório refere ainda que 12,5 por cento dos alunos do terceiro ciclo consumiram drogas nos últimos 12 meses. A nível do ensino secundário esta taxa de consumo sobe para 25,1 por cento, colocando os Açores acima da média nacional”, frisou.

Cláudio Almeida lembrou as sucessivas promessas não cumpridas pelos governos regionais socialistas na área da prevenção e combate à toxicodependência, dando como exemplo a criação de uma unidade de tratamento de dependências em São Miguel, prometida em 2008.

“Passados todos estes anos, os açorianos ainda não têm ao seu dispor a anunciada ‘unidade de desintoxicação’. E, assim, continuam muitos cidadãos sem meios e estruturas que lhes deem resposta às suas dificuldades provenientes da toxicodependência”, disse.

O deputado social-democrata acrescentou que “até nesta área das toxicodependências este governo regional socialista está insensível”.

“Este governo está fechado sobre si próprio. Deixou de ouvir os açorianos. Vinte anos é na verdade muito tempo. Está na altura de mudar”, afirmou.