Promessas do PS para o Faial “não são para valer”
Publicado em 26 de Novembro, 2015

O PSD/Açores considerou que as promessas feitas pelo governo regional socialista para a ilha do Faial “não são para valer”, alegando que “nem os dedos de uma mão serão necessários para contar” o que foi efetivamente cumprido.

“Com estes governos [do PS], como se prova, os Planos não são efetivamente para valer. Em 2012, o secretário regional do Turismo e Transportes garantia aos deputados regionais ‘que os compromissos eleitorais do PS em cada ilha, são compromissos do governo e são para cumprir na presente legislatura’. Hoje está visto que em relação ao Faial aquele governante não estava a falar verdade”, afirmou o deputado social-democrata Costa Pereira, na Assembleia Legislativa dos Açores, no debate do Plano e Orçamento para 2016.

O parlamentar do PSD/Açores recordou que o PS, em 2012, apresentou aos faialenses um manifesto eleitoral em que se “comprometeu com mais de 50 promessas que seriam para cumprir até 2016”, tendo a grande maioria ficado por cumprir.

“Durante este mandato, nem os dedos de uma mão serão necessários para contar o que ficará integralmente cumprido, como devia, na legislatura”, sublinhou.

Costa Pereira deu como exemplos de promessas não cumpridas a Escola de Formação de Marítimos dos Açores, a segunda fase do reordenamento e requalificação da baía da Horta, a construção do novo matadouro da Horta e a empreitada de reordenamento do saco do porto da Horta.

“O Plano para 2016 fecha um mandato de quatro anos deste governo. Por isso, a análise e a avaliação deste documento deve ser indissociável do balanço ao mandato que agora está a terminar, pois, salvo raríssimas exceções, não se consegue concretizar num ano aquilo que em três não se fez”, disse o deputado social-democrata.