Política para as Pescas é “outro grande falhanço” do governo regional
Publicado em 26 de Novembro, 2015

O PSD/Açores considerou que as políticas para as Pescas constituem “mais um dos grandes falhanços da governação socialista na Região”, tendo em conta que “os resultados obtidos em 20 anos são negativos, falhando nomeadamente no objetivo de melhorar os rendimentos dos pescadores”, disse o deputado Luís Garcia.

Perante “o vigésimo plano desta governação e o último desta legislatura”, o social-democrata realçou que a tutela falhou “em quase todos os grandes objetivos”, e quis saber, “como pretendem, o senhor secretário [do Mar, Ciência e Tecnologia] e o governo, inverter o cenário negro que se vive nas Pescas dos Açores?”, questionou.

Luís Garcia frisou que os rendimentos dos pescadores “diminuíram 30% nos últimos anos. E, nos últimos 5 anos, aqueles profissionais perderam mais de 12 milhões de euros”.

Para o deputado do PSD/Açores, “este governo de 20 anos falhou no objetivo de promover a diversificação na pesca. Assim como falhou na formação e na qualificação dos profissionais do setor”, referiu.

“E também falhou nas infraestruturas, adiando algumas que eram essenciais e fazendo outras mal feitas, e sem ouvir os pescadores e muitos outros conhecedores do mar. Com os resultados que ainda recentemente constatámos, por exemplo no porto de Rabo de Peixe”, criticou.

O social-democrata assinalou também que o Governo Regional “foi incapaz de criar um sistema de transportes eficaz e competitivo para o transporte dos nossos produtos, e especialmente do nosso peixe”.

“Esse Governo de 20 anos falhou igualmente no objetivo de aproximar a investigação científica das pescas. E falhou, de forma grave e comprometedora, na promoção da sustentabilidade dos recursos piscícolas, pois são cada vez mais nítidos e dramáticos os sinais de sobre exploração de algumas espécies e a escassez de recursos”, afirmou.

“A via açoriana falhou também nas pescas”, disse Luís Garcia, considerando que, “o governo apresenta-se aqui com as mesmas soluções e sem reconhecer os problemas estruturais com que se debate o setor. O governo finge que esses problemas não existem e parece falar de um setor que não corresponde infelizmente à realidade”.

Sobre o Plano e Orçamento para 2016, o parlamentar afiança que “não encontramos nestes documentos uma única medida diferente e inovadora. Uma medida que, efetivamente, procure inverter o ciclo de empobrecimento e de miséria que vive o setor das Pescas”, concluiu.