Graciosenses “perderam confiança” no governo socialista
Publicado em 25 de Novembro, 2015

O PSD/Açores afirmou que os graciosenses “perderam a confiança no governo regional socialista”, pois sentem, “no seu dia a dia, que os prometidos 262 milhões de euros de investimentos para a sua ilha nos últimos dez anos, não aconteceram”.

“A Graciosa vive possivelmente a mais fragilizada situação social económica dos Açores, tudo por culpa dos governos do PS”, disse o deputado Valdemiro Vasconcelos.

O social-democrata duvida que, “no ano eleitoral de 2016, o governo regional execute os 30 milhões de euros orçamentados para a ilha”, e lamentou que “não exista transparência no uso dos dinheiros públicos na Graciosa. Propagandeiam-se milhões e mais milhões, mas não há um documento que nos prove o que na verdade se despendeu”, frisou.

“A grave falta de deslocação de médicos especialistas à Graciosa” e “a dor de cabeça que é o encaminhamento dos doentes para os hospitais da Região”, foram avançadas como críticas locais ao setor da Saúde, onde “as listas de espera para consultas e atos médicos no Centro de Saúde chegam a pôr em risco os cidadãos”.

Valdemiro Vasconcelos frisou que “os 262 milhões de euros de investimento público prometido não foram capazes de trazer melhores transportes marítimos e aéreos aquela ilha”, realçando que, “nos meses em que a Graciosa é mais procurada, o transporte aéreo para a ilha é miserável. E, cinicamente, aumentou-se o número de voos na época baixa”, lembrou.

O deputado também referiu que os graciosenses “continuam sem compreender as razões para que os navios “Mestre Simão” e “Gilberto Mariano” não escalem a ilha”, questionando “que interesses haverá para que se continue a sacrificar deste modo a economia local”, avançou.

“Com transportes destes, como é que o Turismo pode vingar na ilha Graciosa?”, perguntou o social-democrata, recordando que “o número de turistas que visitam os Açores cresceu em 2015, mas a Graciosa sofreu um decréscimo acentuado”.

E lembrou o “folhetim” em torno das Termas do Carapacho, “que devia envergonhar qualquer governante responsável, pois foram gastos milhões de euros, para agora se dizer que o turismo termal deixou de ser uma prioridade na Graciosa”.

O deputado do PSD/Açores lamentou que “a realidade da Graciosa não permita qualquer elogio à ação governativa do PS”, e lançou um apelo aos graciosenses, dizendo que “está na altura de mudar. 20 anos de permanência na cadeira do poder tapam os olhos a muitas pessoas”.

“Este governo regional socialista já não conhece a realidade dos graciosenses. Cada vez mais é visível de que se trata de governo fechado sobre si próprio”, concluiu Valdemiro Vasconcelos.