“Golpe de estado democrático” prejudica os Açores
Publicado em 10 de Novembro, 2015

O presidente do PSD/Açores afirmou que Vasco Cordeiro participou num “golpe de estado democrático” que prejudica os Açores, ao apoiar o derrube do governo da República e fazendo “absolutamente o contrário” do que disse aos açorianos.

“Estou muito preocupado por Portugal e pelos Açores e com a instabilidade que esta situação pode trazer. Os sacrifícios que foram feitos e a recuperação que já tínhamos alcançado ficam agora novamente em causa”, disse o presidente do PSD/Açores, em declarações aos jornalistas, após a moção de rejeição ao programa do governo da República ter sido aprovada na Assembleia da República.

Para o líder dos social-democratas açorianos, “concretizou-se um verdadeiro golpe de estado democrático em Portugal, com o apoio do PS/Açores e de Vasco Cordeiro, que fez em Lisboa absolutamente o contrário do que andou a dizer nos Açores”.

“Caiu a máscara ao Dr. Vasco Cordeiro: apoiou o acordo entre o PS e a extrema-esquerda antieuropeia, extrema-esquerda essa que é contra a Base das Lajes”, sublinhou.

Duarte Freitas acrescentou que a aprovação da moção de rejeição pelo PS e pelos partidos de extrema-esquerda, com o voto favorável dos deputados do PS/Açores na Assembleia da República, mostrou que estes não respeitam a vontade popular expressa nas eleições.

“Ficou claro que António Costa, Carlos César e Vasco Cordeiro pertencem a uma classe política que não respeita os princípios, não respeita as vitórias democráticas e nem respeita sequer a verdade, quando se diz algo nos Açores e o seu contrário a nível nacional”, frisou o presidente do PSD/Açores.