PSD/Açores defende ampliação de lar de idosos em Vila do Porto
Publicado em 07 de Outubro, 2015

O PSD/Açores defendeu a ampliação do Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia de Vila do Porto, tendo questionado o Governo Regional sobre o assunto, de forma a saber “se a tutela vai incluir essa obra no Plano Anual Regional de 2016”, avançou o deputado Paulo Parece.

Num requerimento enviado à Assembleia Legislativa, o social-democrata lembra que, no final de agosto, “o Diretor Regional da Solidariedade Social esteve em Saeta Maria, tendo reunido com a mesa administrativa da Santa Casa da Misericórdia de Vila do Porto, num encontro onde se discutiu essa possibilidade de ampliar o Lar de Idosos, conforme foi dito à comunicação social”, refere.

Segundo Paulo Parece, “devemos ter em conta que a principal preocupação da Santa Casa da Misericórdia é a capacidade de respostas ao nível da população mais idosa, pelo que a reunião com aquele governante focou ainda outras soluções para diminuir as listas de espera existentes”, frisou.

“Santa Maria tem um Lar de Idosos desde 2005, inserido num edifício destinado e projetado como Centro Comunitário, que foi remodelado para o efeito, e tinha capacidade inicial para 23 utentes. Atualmente conta já com 29 idosos e tem uma lista de espera que ultrapassa em muito a sua capacidade”, explica o deputado.

“Considerando o compromisso do Diretor Regional da Solidariedade Social de avaliar a intervenção na moradia adjacente à Santa Casa para ampliar o Lar de Idosos, solicitamos à tutela que esclareça se essa intenção é mesmo para avançar”, diz Paulo Parece.

“A ampliação é uma necessidade premente, e há muito debatida nos diversos órgãos de ilha”, explica o social-democrata, acrescentando que “o constrangimento existia por ser preciso desocupar a moradia contígua ao atual edifício, propriedade da Santa Casa da Misericórdia, que recentemente ficou devoluta”.

Paulo Parece questionou ainda o governo sobre “as medidas que pretende implementar em Santa Maria, no sentido de diminuir a pressão das listas de espera de idosos, que hoje se verificam na ilha”, concluiu.