Comunicado sobre aumento de preços da Atlânticoline
Publicado em 16 de Outubro, 2015

A empresa pública ATLÂNTICOLINE emitiu um comunicado afirmando proceder a um aumento de tarifas no transporte marítimo de passageiros no Triângulo, entre 20 e 50 cêntimos, a partir do dia 1 de novembro do corrente ano.

Esta notícia é surpreendente e contradiz o que o Governo Regional, pela voz do Secretário Regional do Turismo e Transportes, havia garantido de que não haveria aumento do tarifário nestas ligações.

Isso mesmo foi assegurado por este governante aquando da apresentação pública do PIT – Plano Integrado de Transportes.

O PIT também afirma o seguinte: “…aumentar a capacidade de mobilidade de pessoas e bens, através da redução do seu custo de acesso e ainda da facilidade de interligação e comodidade, tanto nas ligações inter-ilhas e com o exterior da Região…”.

Por outro lado, em 12 de março de 2014 foi aprovado no Parlamento Regional um Projeto de Resolução da autoria do PCP, segundo o qual “ não deveria haver aumento de tarifas para passageiros, nem redução do número de ligações entre as ilhas ”, nesse momento foi renovada a garantia pelo governo regional de que tal não iria acontecer.

No inverno passado a Transmaçor reduziu de 5 para 4 o número de ligações diárias entre o Faial e o Pico. Contrariamente ao que tinha sido prometido pelo Governo.

Não se compreende assim, que uma empresa pública, tutelada pelo Governo, prestando um serviço público para o qual é altamente subsidiada, não cumpra com os compromissos do Governo.

Gastaram-se largas dezenas de milhões de euros em novos navios e em infraestruturas portuárias para termos menos ligações e ligações mais caras e isto tudo em incumprimento do que o Governo prometeu aos açorianos.

O que se conclui é que a nova ATLÂNTICOLINE que resulta da fusão da ex- empresa com o mesmo nome, integrou outra empresa, a Transmaçor, que estava tecnicamente falida, com uma dívida dez vezes superior ao valor do seu capital social (acima de 5 milhões de euros), e pretende agora fazer uma recuperação financeira à custa dos bolsos dos passageiros.

Pelo fluxo de passageiros que em média circulam anualmente no Triângulo, estima-se que este aumento de tarifário resulte num acréscimo de receitas para a ATLÂNTICOLINE em cerca de 100 mil euros.

Não é aceitável que sejam os utentes de um serviço público, subsidiado pelo erário público em muitos milhões de euros, a pagar a má gestão das empresas públicas desta Região!

O deputado regional,

Cláudio Lopes