Partido Socialista dos Açores é negócio da família César
Publicado em 26 de Setembro, 2015

O presidente do PSD/Açores afirmou que os partidos políticos não deviam ser um “negócio de família” e deu o exemplo do candidato socialista Carlos César, cuja família “manda em tudo” no governo regional do PS.

“Carlos César escolheu-se a si próprio como cabeça de lista. Ele é que manda no Partido Socialista, o filho manda no grupo parlamentar, a mulher manda nos palácios e no resto do governo regional mais ninguém faz nada. Isto não devia ser um negócio de família”, afirmou Duarte Freitas, durante um comício na Ribeira Grande, no âmbito da campanha para as eleições legislativas nacionais de 4 de outubro.

O líder dos social-democratas salientou que “os partidos são superiores às pessoas e às famílias” e que no PSD/Açores “quem manda são os militantes e os dirigentes”.

“Isto não é um negócio de família. No PSD/Açores quem manda são os militantes e os dirigentes. Quem escolheu a nossa lista e quem decidiu não irmos em coligação foram os órgãos do partido por voto secreto. Ninguém manda no PSD/Açores. Mandam os seus militantes e não nenhuma família”, sublinhou.

Duarte Freitas realçou o “grande orgulho” que os social-democratas açorianos têm na lista de candidatos, encabeçada por Berta Cabral, que o partido apresenta à Assembleia da República, “escolhida autonomamente e em liberdade”.

“Os nossos candidatos vão defender os Açores, de uma ponta à outra. Se for necessário votar outra vez contra o PSD nacional vamos fazê-lo tantas vezes quantas forem precisas”, garantiu.

O presidente do PSD/Açores aproveitou a ocasião para apelar à mobilização de todo o partido nas eleições do dia 4 de outubro em prol da “estabilidade e do futuro de Portugal e dos Açores” que só podem ser assegurados “votando no PSD e em Pedro Passos Coelho”.

“Não queremos voltar para trás. Não queremos a bancarrota de José Sócrates, António Costa e Carlos César. Queremos ir para a frente com Passos Coelho para não desperdiçarmos os sacrifícios que fizemos”, afirmou.

Duarte Freitas acrescentou que “não se pode desperdiçar um voto”, lembrando que “para eleger Passos Coelho, os açorianos têm que votar PSD”.

“Quem não votar no PSD está a votar em José Sócrates, António Costa e Carlos César. Votar PSD nos Açores é votar em Passos Coelho para defender os Açores e Portugal”, conclui o líder dos social-democratas açorianos.