Governo regional falhou nas políticas de impacto ao fim das quotas leiteiras
Publicado em 25 de Setembro, 2015

O PSD/Açores considerou que o Governo Regional “falhou nas suas políticas de impacto ao fim das quotas leiteiras”, questionando a tutela exatamente sobre esse facto.

“Uma vez que o Governo Regional não tomou uma medida concreta para a resolução do problema, o que pensa fazer, no âmbito das suas próprias competências, além de fugir às responsabilidades?”, pergunta o deputado Renato Cordeiro.

Num requerimento enviado à Assembleia Legislativa, o social-democrata lembra que “este é o mesmo Governo Regional que disse estar preparado para o fim das quotas leiteiras, mas que aponta agora o dedo ao Governo da República, sacudindo qualquer responsabilidade na atual situação”, refere.

Renato Cordeiro atenta “às grandes dificuldades verificas no setor leiteiro regional”, e ao facto de que “o fim do regime de quotas estava anunciado muito antes do seu término, e foram levantados diversos receios de todos os quadrantes ligados ao setor”.

“Os Açores exportam mais de 80% do que produzem, o que acarreta uma maior dependência da evolução dos mercados. Mas convém lembrar que mais de 30% do leite nacional, assim como 50 % do queijo, são de origem açoriana, e isso diz bem da importância e relevo do setor na nossa Região, com impacto desde dos produtores às industrias, aos serviços e mesmo aos consumidores”, diz o deputado.

“Ora, o PSD/Açores alertou, e tem vindo a alertar o Governo Regional para o impacto económico e social na Região do fim das quotas leiteiras, exigindo estudos e ações”, ao que o governo afirmou sempre “que os produtores de leite estavam preparados para o fim das quotas e que vinham sendo implementadas políticas nesse sentido”.

“No entanto, a realidade é bem diferente daquela que o Governo Regional anunciou e garantiu, com a descida agravada do preço do leite, assim como a acomodação verificada de produto em stock nas nossas indústrias”, alerta Renato Cordeiro.

O deputado do PSD/Açores diz ainda que “sendo já conhecidas medidas da União Europeia (UE) e do Governo da República de apoio aos produtores de leite, e mesmo considerando que as medidas da UE são insuficientes, desconhecem-se as medidas regionais. O que vem confirmar a impreparação já referida por parte da tutela açoriana face à nova realidade que o nosso setor leiteiro atravessa”, conclui.