Corrupção – Opinião de Hermano Aguiar
Publicado em 17 de Agosto, 2015

Pior do que a corrupção é a conivência e até a aprovação da mesma por parte da sociedade.

Um familiar de um político todo-poderoso acha-se no direito de menosprezar todas as regras em vigor a fim de beneficiar de um bem público. Ultrapassando tudo e todos. E, fazendo gala do seu “de facto” poder, consegue do erário público, ou de uma instituição financiada com dinheiros públicos, um bem que lhe estaria vedado. Contando com a conivência do fornecedor do tal bem público.

Condenável! Pior ainda, como dizia um amigo meu a quem confidenciei a “proeza” do corruptor ativo e a conivência do corrupto passivo, é a aprovação por parte dos nossos concidadãos quando confrontados com estes chamados casos de “pequena” corrupção. “Tolo seria ele ou ela se não resolvesse o seu problema!…”, é frequentemente, e lamentavelmente, a típica reação que se recebe.

É este o grau de exigência da sociedade açoriana. Não há lei nem democracia que resista a esta ignorância. O peso da nossa história, em que caminhamos quase sempre de chapéu na mão, ainda pesa na nossa maneira de estar em sociedade.

“Esperamos sempre pela voz do comando. Sofremos da doença da Autoridade”, já dizia Pessoa.