Cartazes – Opinião de Hermano Aguiar
Publicado em 10 de Agosto, 2015

Os cartazes publicitários, tenham eles o teor da mensagem que tiverem, têm um objetivo: conduzir o consumidor ou o eleitor a uma determinada conclusão, sem levantar grandes questões e muito menos dúvidas. Por isso, os bons cartazes publicitários apelam, geralmente, à emoção, ao coração e muito poucas vezes à razão.

Em tempos de pré-campanha eleitoral para “eleger” o novo governo da república, o cartaz de apelo ao voto no PS é portador de uma mensagem que revela bem o modo de ser e de estar na vida e, daí, na política, do seu candidato e ainda presidente.

O PS lançou na rua um cartaz que é “invadido” pelo seu ex-líder, apelando à “confiança de sempre”. Para além de César, há uns rabiscos indecifráveis, supostamente com os nomes dos outros nove candidatos companheiros de lista. O rosto de César não se coaduna com a cara de qualquer outro candidato. Por mais importante ou insignificante que seja.

O poder aqui não é para ser partilhado. É para ser exclusivo de um dirigente, de uma família reinante que se advoga no direito de ultrapassar tudo e todos em quaisquer circunstâncias.

O PS não tem dez candidatos a deputados na Assembleia da República. Tem o candidato e nove apêndices …