Governo dos Açores esquece compromissos assumidos com os faialenses
Publicado em 09 de Julho, 2015

O PSD/Açores lamentou que o governo regional tenha decidido não avançar com a segunda fase da construção da variante à cidade da Horta, e considerou, por isso, que “os faialenses têm andado a ser enganados pelos sucessivos governo regionais socialistas”.

De facto, disse o deputado do PSD/Açores Luis Garcia, que apresentou, em nome dos sociais-democratas açorianos, um voto de protesto sobre esta matéria no parlamento regional, a decisão de não avançar com a segunda fase da variante “é inaceitável e de consequências perniciosas dadas as óbvias implicações que tem noutros investimentos públicos, tais como o reordenamento da Frente Mar da cidade da Horta, a construção do novo Quartel dos Bombeiros e o reordenamento do trânsito na cidade”.

Para o deputado do PSD/Açores “é igualmente condenável que o Governo Regional e o PS continuem sem dar qualquer explicação para este desaparecimento”.

Luis Garcia recordou que “não está em causa uma estrada enorme, mas sim uma estrada com menos de dois quilómetros e que é essencial para o desenvolvimento da cidade da Horta”. Além disso, reforçou, “trata-se de um investimento que é prometido desde 1996, há 19 anos, e que foi incluída nos manifestos eleitorais socialistas de 1996, 2000, 2004, 2008, 2012”.

Luis Garcia recordou que este é um assunto que tem merecido “a critica unânime de várias instituições do Faial, como é o caso do Conselho de Ilha, da Câmara Municipal e da Assembleia Municipal da Horta”.

O deputado do PSD/Açores lamentou, ainda, “que o voto de protesto do PSD/Açores não tenha merecido o apoio dos deputados do Faial, rompendo assim o amplo consenso que se verifica entre todos no Faial quanto à necessidade de proceder a esse investimento”.

Luis Garcia lamentou, ainda, “a teoria agora desenvolvida pelos socialistas afirmando que a obra não avança por causa do governo da República e das novas regras de financiamento comunitário”.

“Este é o governo do passa culpas. Para tudo, os socialistas dizem que a culpa é de todos os outros e nunca do próprio Partido Socialista. O PS promete esta obra há quase duas décadas. Só não a construiu porque não quis”.