Comunicado da comissão política concelhia da Praia da Vitória – 24 de julho de 2015
Publicado em 24 de Julho, 2015

O vice-presidente do governo regional resolveu ontem reaparecer na agenda mediática apenas para sacudir a água do capote e culpar terceiros pelos seus próprios fracassos enquanto governante.

As declarações de Sérgio Ávila sobre as propostas para mitigação do impacto da redução militar na base das Lajes, apresentadas pelo secretário de Estado Adjunto da Economia aos empresários da Terceira, são reveladoras da habitual postura socialista de atirar as culpas para cima de outros.

O desplante do vice-presidente do governo regional é tal que chega a exigir que o atual governo da República resolva em seis meses aquilo que sucessivos governos do Partido Socialista, nos Açores e em Lisboa, não resolveram ao longo de quase uma década.

Sérgio Ávila apenas pretende desviar atenções e esconder as responsabilidades de sucessivos governos socialistas, na Região e na República, que sempre ignoraram todos os alertas acerca de uma possível redução do contingente militar norte-americano na Base das Lajes, com a consequente perda de postos de trabalho na economia da ilha Terceira.

Aliás, um documento intitulado “Global En Route Strategy”, elaborado em março de 2009 pelo “Air Mobility Command” dos Estados Unidos, já previa que a Base das Lajes viesse a sofrer uma acentuada redução do seu contingente militar.

Recorde-se que, em 2009, os governos do Partido Socialista na Região e na República limitaram-se a dizer que desconheciam esse documento. Em 2015, sem qualquer vergonha, culpam aqueles que estão a tentar resolver o problema.

Aliás, os problemas económicos da ilha Terceira já não são de agora e não resultam apenas da redução do contingente civil e militar na Base das Lajes.

Os problemas que afetam a Terceira são resultado da falta de capacidade que o governo regional socialista demonstrou nos últimos anos para governar e para executar os projetos que prometeu e nunca cumpriu.

A situação difícil que atravessa a economia da Terceira tem a marca do Partido Socialista e um rosto: o rosto de Sérgio Ávila, que exerce funções públicas na ilha há quase 20 anos.

Os terceirenses precisam de propostas credíveis, que permitam criar riqueza e emprego para inverter o rumo do empobrecimento resultante de duas décadas de governação socialista.

É esse o sentido das propostas já apresentadas pelo Governo da República, que vão dar um novo impulso à economia da ilha Terceira e devolver a esperança aos terceirenses.