A tragédia grega – Opinião de Luís Pereira de Almeida
Publicado em 12 de Julho, 2015

Por vezes os pessimistas conseguem que a história os veja como verdadeiros otimistas. Parece que é isso que vai acontecer com quem pensava que a questão grega teria uma solução digna, possível e que não ridicularizasse os que têm permitido que a Grécia e os gregos tenham sobrevivido nos últimos anos.

Antes de tudo há que referir que a Grécia não é um país do terceiro mundo. Apesar de tudo ainda tem um PIB per capita idêntico ao português. É também de salientar que, apesar das dificuldades por que passam os cidadãos gregos, é forte demais falar em crise humanitária. Crise humanitária é outra coisa.

Em traços gerais e de forma simples, os gregos gastaram demais, endividaram-se demais e faliram. Obviamente houve culpas de todos os “players”, incluindo quem financiou!

Agora servem-se de tudo para não pagar e, pasme-se, querem mais dinheiro para lançar a economia e pagar um dia, se tudo correr bem. Inaceitável!

Estranhamente há uma esquerda europeia que cavalga em cima desta desgraça. Infelizmente vemos o PS português nesse conjunto de “pensadores”. Felizmente que não foram governo nos últimos anos.