Governo regional recua na reorganização da rede escolar da Praia da Vitória
Publicado em 18 de Junho, 2015

Os vereadores do PSD/Açores na câmara municipal da Praia da Vitória manifestaram a sua satisfação com “a decisão do secretário regional da Educação de manter os alunos do terceiro ciclo na Escola Básica Integrada da Praia da Vitória”, respeitando assim “os apelos feitos pela comunidade educativa e pelos partidos da oposição, de que a transferência para a Escola Secundária Vitorino Nemésio não se realizasse sem estarem salvaguardados os interesses dos alunos”.

Judite Parreira e Paulo Noval lembraram as diligências políticas tomadas pelo PSD/Açores contra a iniciativa do anterior Secretário Regional da Educação, Luiz Fagundes Duarte, “que pretendia reestruturar a rede escolar da Praia da Vitória, transitando todo o terceiro ciclo da Escola Básica da Praia para a Secundária Vitorino Nemésio”.

“Os argumentos agora enunciados pela tutela para justificar a reviravolta na decisão são exatamente os mesmos que o PSD/Açores invocou na altura: a Escola Secundária Vitorino Nemésio não tem espaço nem condições para albergar um aumento significativo da sua população estudantil”.

“Tal como havíamos afirmado, a decisão do anterior secretário e diretora regional era errada e a transferência dos alunos não trazia qualquer vantagem pedagógica, para além de que a Escola Secundária Vitorino Nemésio não tem condições para receber todo o terceiro ciclo”, adiantam.

“Aliás, só passado mais de um ano é que a tutela e a câmara foram à Escola Vitorino Nemésio e fizeram as contas, concluindo que afinal as obras necessárias são complexas e exigem uma verba avultada”, dizem Judite Parreira e Paulo Noval.

Os social-democratas afirmam que “o importante é que prevaleceu o bom senso, e que os alunos continuam na escola que desejavam. Os pais e professores estão satisfeitos e os partidos da oposição ajudaram a evitar que se cometesse uma injustiça”, destacam.

Mas lamentam “que só agora a tutela tenha percebido que as duas escolas podem coexistir pela sua complementaridade, possibilitando a criação de percursos alternativos indo assim ao encontro das necessidades dos alunos do concelho”, explicam.

Judite Parreira e Paulo Noval exigem um “pedido de desculpas da Secretaria da Educação dirigido aos encarregados de educação, professores e funcionários, pelo transtorno causado. Que resultou de uma decisão tomada precipitadamente, como a própria tutela acabou por reconhecer”, referem.

Os vereadores social-democratas esperam que este triste episódio “sirva de lição à Secretaria Regional da Educação e à Câmara Municipal da Praia da Vitória, para que primeiro façam um estudo exaustivo e rigoroso sobre os assuntos, para não terem de dar o dito por não dito”, concluem.