Governo regional deve pronunciar-se sobre queda do turismo na Terceira
Publicado em 19 de Junho, 2015

O PSD/Açores questionou o Governo Regional sobre a evolução dos dados estatísticos referente ao turismo na Ilha Terceira e, em concreto, sobre os recentes indicadores, que “mostram uma queda continuada dos mesmos, desde 2007”.

“Os dados mais recentes mostram variações homólogas negativas, quer no número de hóspedes (-21%), quer nos proveitos totais (-6,3%)”, disse o deputado António Ventura.

O social-democrata enviou um requerimento à Assembleia Legislativa, em que considera que a situação “é preocupante, porque a Terceira está em contraciclo, relativamente à tendência geral dos Açores. Entre 2007 e 2014, a Terceira evoluiu negativamente no total dos hóspedes (-2,3%), no total das dormidas (-7,2%) e nos proveitos totais (-20%)”, referiu.

António Ventura pretende que a tutela se pronuncie, “explicando se a promoção efetuada da Ilha Terceira nos mercados nacionais e internacionais é suficiente. Ou se há medidas previstas para alterar a situação”, adiantou.

“Igualmente deve o Governo Regional esclarecer se prevê retomar os charters com Madrid, ou mesmo com outros destinos”, diz António Ventura, lembrando um inquérito, realizado pela Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo, “no qual cerca de 70% das empresas do setor confirmaram ter sofrido quebras, na ordem dos 20% em comparação com 2014, nas reservas e receitas no período de Páscoa”.

O deputado critica também o facto de “não se conhecer uma promoção efetiva e estratégica da cidade de Angra do Heroísmo, a única Cidade Património Mundial da UNESCO no Arquipélago, sabendo-se que as cidades com este título são excelentes ferramentas de promoção para atrair turistas culturais, aliás assim acontece com a cidade de Évora”.

António Ventura refere ainda que, “entre as muitas falhas e ausências, não se verifica, por exemplo, uma valorização do posicionamento geoestratégico da Terceira enquanto espaço de encontro de culturas”.

“Essa continuada ausência de uma estratégia de promoção da Terceira, aliada ao preço do bilhete inter-ilhas, à limitação nas acessibilidades, à falta de lugares nos voos de encaminhamento e à falta de reconhecimento dessa posição central da Terceira, são fatores que têm afetado o desenvolvimento do sector do turismo na Ilha Terceira”, avança o social-democrata.

“A manterem-se assim, os dados do turismo para a Terceira colocam em risco a sustentabilidade de várias empresas relacionadas com aquele setor”, conclui António Ventura.