Escolas açorianas encaram programa ProSucesso de forma “muito apreensiva”
Publicado em 25 de Junho, 2015

O PSD/Açores deu voz à forma “apreensiva” como grande parte das escolas açorianas está a encarar a execução do Programa ProSucesso, considerando que “o período que medeia o encerramento deste ano letivo e o início do próximo é muito curto para os estabelecimentos de ensino prepararem uma realidade que se pretende renovada”, disse a deputada Judite Parreira.

A social-democrata falava após uma reunião com o Conselho Executivo da Escola Básica Integrada de Angra do Heroísmo, onde confirmou que essa é “uma opinião partilhada por muitas escolas, que estão preocupadas com a escassez de tempo, de forma a implementar o programa. Assim, o próximo ano, será um ano de experiência para as escolas, e não uma altura para poderem apresentar resultados”, adiantou.

Tomando como indicador regional, uma “grave” taxa de abandono escolar precoce acima dos 30%, Judite Parreira diz que o ProSucesso “é um conjunto de boas intenções, feito por pessoas com muita competência e muitas capacidades, mas convém frisar que, para que possa ser operacionalizado, são necessários recursos”.

E é nessa vertente que a deputada do PSD/Açores aponta o dedo à tutela regional, referindo que “é necessária uma ação muito forte também por parte das famílias, e aí tem de haver uma aposta para pôr as famílias a trabalhar em parceria com as escolas, combatendo de forma plena o grave insucesso escolar que vivemos.”, explicou.

Para Judite Parreira, “a Secretaria Regional tem aí um grande desafio, que passa por sensibilizar as famílias açorianas para um trabalho de conjunto, de forma a salvaguardar os interesses dos alunos e a integrar de outra forma muitos agregados desestruturados, que não têm conseguido acompanhar os seus filhos”.

A parlamentar diz que “esse é, de facto, o grande desafio, pois não serão apenas a teoria e as intenções a poder mudar uma situação que é grave e que, como temos vindo a alertar, os governos socialistas descuraram durante tempo demais”, concluiu.