Governo regional deve explicações sobre geotermia na Terceira
Publicado em 28 de Abril, 2015

O PSD/Açores exigiu ao Governo Regional “um ponto da situação” sobre a prospeção de energia geotérmica na ilha Terceira, lembrando que, “depois de 30 milhões de euros gastos, ainda não existem garantias de que possa existir produção de modo sustentado e de acordo com as promessas políticas feitas”, disse o deputado António Ventura.

Segundo o social-democrata, “de anúncio em anúncio, o Governo Regional, desde o ano 2000, foi criando expectativas aos terceirenses sobre a produção de energia geotérmica, sem até ao momento existir essa produção. Neste momento, importa conhecer o estado do projeto, que a tutela parece não querer divulgar”, referiu.

Num requerimento enviado à Assembleia Legislativa, o deputado lembra que “questionamos o governo em Abril do ano passado, e foi-nos dito que a assinatura do contrato para fornecimento da Central Piloto ocorreria no primeiro trimestre de 2015, e que a respetiva produção de energia estava prevista para 2016”.

“É bom recordar que o projeto da GeoTerceira – Sociedade de Geoeléctrica da Terceira, SA, arrancou no ano 2000 com estudos geofísicos, e que o Governo Regional anunciou o início da produção de energia geotérmica na Terceira para finais de 2006. Tal nunca se verificou, sendo que nesse ano foi assinado um contrato de prospecção para ensaio e avaliação de dois poços entre a Geoterceira e a empresa sondadora Iceland Drilling”, frisa o parlamentar.

“Posteriormente foi anunciado pela GeoTerceira que todo o processo estava atrasado, e que a central geotérmica não estaria concluída em 2009 como previsto, mas sim em 2011 e depois em 2012. Todavia, passados quase nove anos da promessa, a dita central ainda não está em funcionamento”, critica António Ventura.

“Sendo a energia geotérmica um recurso endógeno importante e um decisivo factor de competitividade para a Terceira, pois poderia contribuir para uma maior autonomia energética, torna-se cada vez mais urgente obter explicações para todo este insucesso”, acrescenta o deputado.

No documento enviado ao parlamento açoriano, António Ventura solicita a descriminação dos testes e prospeções efetuadas, e pede informações sobre a abertura de novos furos e a sua localização.

O deputado do PSD/Açores quer ainda saber “os montantes investidos até à presente data na prospeção efetuada, e que estimativa total de investimento existe até à entrada em funcionamento da central. Assim como o Governo Regional tem de esclarecer se mantém 2016 como o ano de início da tão aguardada produção de energia geotérmica na Terceira”, concluiu.